terça-feira, 19 de novembro de 2013

O 11 de Setembro de Tom Hanks

Confesso que Tom Hanks não é um dos meus atores prediletos. Depois de "O Terminal", confesso que esta não preferência tomou uma proporção maior, mas nada que fizesse esquecer o grande sucesso "Filadélfia". Porém, tenho que render elogios ao seu personagem neste lindo filme "Tão forte, Tão perto". Apesar de sua pequena participação na história seu personagem acaba se tornando o ponto central do filme que nos emociona por frases marcantes, demonstrações de sentimentos e por ter por pano de fundo o fatídico dia 11 de setembro quando ocorreu a tragédia do WTC.
Mais do que isso, o filme trata das relações humanas, sentimentos, objetivos. O diretor do filme é o mesmo diretor de clássicos como "Billy Elliot", "As Horas"e "O Leitor".Vale a pena assistir!!!
Se preferir, leia o livro: "Extremamente Alto e Incrivelmente Perto", escrito por Jonathan Safran Foer.

SINOPSE:

Oskar Schell (Thomas Horn) é um garoto muito apegado ao pai, Thomas (Tom Hanks), que inventou que Nova York tinha um distrito hoje desaparecido para fazer com que o filho tivesse iniciativa e aprendesse a falar com todo tipo de pessoa. Thomas estava no World Trade Center no fatídico 11 de setembro de 2001, tendo falecido devido aos ataques terroristas. A perda foi um baque para Oskar e sua mãe, Linda (Sandra Bullock). Um ano depois, Oskar teme perder a lembrança do pai. Um dia, ao vasculhar o guarda-roupas dele, quebra acidentalmente um pequeno vaso azul. Dentre há um envelope onde aparece escrito Black e, dentro dele, uma misteriosa chave. Convencido que ela é um enigma deixado pelo pai para que pudesse desvendar, Oskar inicia uma expedição pela cidade de Nova York, em busca de todos os habitantes que tenham o sobrenome Black.

Um comentário:

Estrela disse...

Este filme deve prender o espectador. Também não sou tão fã do Tom Hanks, mas gostei da sinopse.
Abraço!