sexta-feira, 14 de julho de 2006

Acreditar nas pessoas, eis a dúvida...

Acreditar nas pessoas nos dias de hoje é uma tarefa muito complicada. Cada vez mais se torna difícil saber quem é sincero ou quem quer se aproveitar de alguma situação. No entanto, são nessas horas que as pessoas de bem são colocadas no mesmo balaio de gatos no qual habita os famosos mentirosos. Por já haver este estigma de que ninguém mais hoje é sincero, as pessoas não sabem se devem ou não acreditar em você e te tomam como uma pessoa qualquer.
Mentir para algumas pessoas é tão comum que suas mentiras se tornam verdades. Há pessoas que conseguem idealizar, fundamentados na mentira, um mundo surreal que acaba por englobar as pessoas que cercam o adepto da mentira. E isso não acontece apenas nos relacionamentos, mas em todos os níveis das sociedades atuais. Vivemos num mundo de mentiras de suposições e a cada momento as pessoas se esquecem de que a verdade ainda se faz necessária se queremos viver em harmonia respeitando os direitos do outro.
Isso se agrava na medida em que você busca ser simplesmente quem você é e as pessoas não entendem que o que está sendo demonstrado é a sua sinceridade. É como se as pessoas olhassem para você da mesma forma como se vêem no espelho e pensam que pelo fato de fazerem algo impróprio (consigo mesmo ou com o outro), você também é capaz de fazer. Mas as coisas não são assim.
Ainda há muita gente que se relaciona, em todos os sentidos, com outras pessoas, de coração aberto. Mas o que isso quer dizer? Quer dizer que existem pessoas que ainda agem com o coração, buscando preservar a sinceridade, a honestidade e a verdade acima de tudo. Essas pessoas são, acima de tudo, pessoas que ainda acreditam que o ser humano pode ser pleno por buscar realizar um mundo real, onde imperam a verdade, a honestidade e a sinceridade. Esses valores, a cada dia que passa, acabam se preservando graças ao esforço de pessoas que ainda acreditam que vale a pena perpetuar, neste mundo de aparências, o sonho de vivermos num mundo onde possamos confiar uns nos outros sem ter que testar ninguém, pois o caráter de qualquer um será virtude inquestionável.
Enfim, é preciso pensar no papel que a mentira, a falsidade e a desonestidade têm exercido no mundo de hoje para que se possa pensar na reversão desses “desvalores” já estabelecidos. È preciso acreditar que ser verdadeiro ainda é o melhor caminho, mas sobretudo torcer muito para que não sejamos colocados no meio do joio.

23/05/2006

Nenhum comentário: